• Endometriose

    Endometriose

    Endometriose tem como definição a presença do tecido endometrial fora do seu local normal que é a cavidade uterina. O endométrio é uma mucosa que tem como principal função, receber a implantação do embrião e mantê-lo com a nutrição materna necessária ao seu desenvolvimento. Mensalmente a mulher que não engravida, renova o seu endométrio através da descamação, a qual chamamos de menstruação.

    Cerca de 10% das mulheres na idade reprodutiva apresentam endometriose. Se levarmos em consideração as pacientes com dor menstrual progressiva, associada a dificuldade de engravidar, este número pode chegar a alarmante cifra dos 50%. Os principais locais de implantação dos focos de endometriose são: ovários, peritônio, ligamentos útero-sacros e redondos; cicatrizes de cirurgia como cesareanas ou episiorrafias (pós-parto), também podem ser sede desta doença. Nestes casos os tratamentos serão sempre cirúrgicos.

    Imagine se este tecido está dentro do abdome, mensalmente sofrendo ação dos hormônios femininos, os mesmos que atuam no tecido normal. Imagine pequenas menstruações sem ter por onde escoar. É fácil entender que este material vai acumular-se e levar a dor em baixo ventre de caráter progressivo, aparecendo principalmente no período menstrual, criando um processo inflamatório, levando muito comumente a aderências e destruição dos órgãos reprodutivos. Falamos de uma doença que tem uma forte ligação com a infertilidade feminina e uma das mais importantes causas de dor pélvica crônica progressiva, relacionada com o ciclo menstrual.

    O diagnóstico de certeza desta doença só pode ser dado pela Vídeo-laparoscopia diagnóstica, podendo nesta ocasião já ser realizada cirurgia corretiva, melhorando os órgãos para a procriação. Em algumas situações necessita-se de mais de uma intervenção.

    Estamos diante de uma doença que é totalmente benigna, porém de caráter crônico que deve ser controlada, através de medicamentos como anti-inflamatórios, contraceptivos hormonais orais, progestágenos e análogos de Gnrh. Pacientes que desejam filhos, devem ser estimuladas a procriar o mais breve possível, pois esta doença pode progredir e piorar os resultados. As que não respondem a tratamentos mais simples e as com endometriose avançada deverão ser avaliadas sobre a possibilidade do uso de Inseminaçaõa artificial ou Fertilização in vitro. Certamente boa parte destas mulheres terão sucesso em procriar.

    Infelizmente, não existe prevenção adequada para esta doença. O que se tem de melhor ainda é o diagnóstico precoce que pode ajudar a controlá-la e a definir qual o melhor tratamento. A gravidez, de forma interessante, é um forte aliado no combate a esta doença. A presença de alta concentração de progesterona, produzida pela placenta, normalmente leva a uma melhora acentuada das mesmas.

    Para se ter uma idéia de como esta doença é discutida, existem simpósios e eventos mundiais somente para debater sobre este assunto e suas consequências. É importante que diante de algumas alterações no ciclo da mulher , como dores intensas e dificuldade em engravidar a paciente deve procurar o seu ginecologista que encaminhará a melhor forma de tratamento.

    Comente →
  • Postado por Valdilene Santos on 23 de janeiro de 2016, 21:30

    Aos 18 anos tive uma gravidez ectópica, resultando da remoção da minha nha trompa esquerda, a quase três anos tive endometriose, fiz uma videolaparoscopia e desde então tomo gestinol 28, frequentemente tenho dores da região do útero, hora moderada, hora intensa, já fiz vários exames e não apresentaram nenhum problema, mas as dores continuam e não sei mais que caminho seguir.
    Estou com 29 anos e tenho medo de não conseguir engravidar um dia, como sou solteira penso na ideia de uma fertilização in vitro.
    Enfim, por todos esses problemas as.mais nhas chances de engravidar são realmente reduzidas?
    Obrigada.
    Att,

    Comentar →
    • Postado por BIOS on 18 de fevereiro de 2016, 09:53
      in reply to Valdilene Santos

      A endometriose é uma doença nitidamente associada à queda da fertilidade. A Ausência de uma das trompas pode ser um agravante. Por isso, a fertilização in vitro pode ser uma alternativa sim.

      Comentar →
    • Postado por Mercia on 12 de maio de 2017, 06:26
      in reply to Valdilene Santos

      Tenho policistos e nunca coseguir engravidar.tenho q fazer um tratamento desses pra conseguir?

      Comentar →
      • Postado por Mercia on 12 de maio de 2017, 06:33
        in reply to Mercia

        Estou com 35 anos,estou louca pra engravidar,fiz vários exames descobrir q tenho poliscistos .mas a médica q me assisti só me enrola. Estou bastante interessada de fazer um tratamento mais intenso pra engravidar logo devido minha idade .aí tem esse tipo de tratamento?

        Comentar →
  • Postado por Fábio Macêdo on 20 de setembro de 2016, 18:46

    Testando mensagem.

    Comentar →
  • Postado por Fábio Macêdo on 20 de setembro de 2016, 18:46

    Testando mensagem.

    Comentar →

Comente

Cancel reply

Galeria de Imagens